Pular para o conteúdo principal
Publicado em 26, Jul 2022 por economia_obser…
Card mostra pessoa analisando dados com uso de tablet
Publicações

Mercado projeta inflação menor para 2022

Na quarta semana do mês de julho, os agentes do mercado brasileiro continuam revisando para baixo suas expectativas de inflação para o ano de 2022. Com a redução de impostos sobre combustíveis, comunicações, energia elétrica e transporte, em vigor desde o fim de junho, o crescimento dos índices de preços já deve arrefecer no mês de julho. Com a medida, a expectativa para o IPCA é de avanço de 7,30% em 2022. Contudo, as recentes medidas que atenuam a inflação no curto prazo, aumentam a perspectiva para 2023 e 2024, uma vez que essas medidas são de caráter temporário e tendem a ser compensadas em 2023.

Mediana das expectativas de mercado para o IPCA em 2022

 

No cenário internacional, a condução de políticas monetárias para um ambiente macroeconômico mais restritivo segue aquecido. Após 11 anos, o Banco Central Europeu (BCE) optou por aumentar em 0,5 pontos percentuais a taxa de juros. Esse cenário prospectivo de menor crescimento econômico combinada com maior inflação e a condução das políticas fiscais no cenário brasileiro, contribui para as estimativas de desvalorização do real frente ao dólar. Para 2022, a expectativa de encerramento da taxa de câmbio é de R$/US$ 5,20, ante RS/US$ 5,13 há uma semana.

Em relação à atividade econômica, as revisões para o PIB em 2022 seguem com viés positivo, com expectativa de expansão de 1,93%. O aumento no consumo das famílias e do setor de serviços melhoram as perspectivas de curto prazo para o crescimento do PIB.

Na agenda da semana, dados de inflação do IPCA-15 e IGP-M deverão trazer resultados mais concretos do impacto da taxa de juros sobre o avanço de preços na economia brasileira. Além disso, dados de emprego formal (Caged) irão mostrar o desempenho da economia real frente ao cenário monetário mais restritivo. Nos EUA, a decisão do Fed (Federal Reserve) sobre a taxa de juros dará mais indicativos acerca do maior risco de recessão na economia.

Acesse o boletim na íntegra abaixo.

Tags Publicações