Pular para o conteúdo principal

Celulose e Papel

Celulose e Papel


Posição em Santa Catarina

21.066

21.066

Empregos

2,6% da indústria de SC
Fonte: RAIS (2019)

422

422

Estabelecimentos

0,8% da indústria de SC
Fonte: RAIS (2019)

US$ 255 milhões

US$ 255 milhões

em Exportações

3,5% da indústria de SC
Fonte: MDIC (2020)

US$ 98 milhões

US$ 98 milhões

em Importações

0,6% da indústria de SC
Fonte: MDIC (2020)

R$ 7,6 bilhões

R$ 7,6 bilhões

em Valor Bruto da Produção Industrial

4,7% da indústria de SC
Fonte: PIA - IBGE (2018)

R$ 3,2 bilhões

R$ 3,2 bilhões

em Valor da Transformação Industrial

4,9% da indústria de SC
Fonte: PIA - IBGE (2018)

R$ 162,9 mil

R$ 162,9 mil

em Produtividade

por trabalhador industrial
Fonte: PIA - IBGE (2018)


Ranking no estado

4°

Produtividade

7°

Exportações

11°

11°

Empregos

14°

14°

Estabelecimentos

Mercado de Trabalho

21.066

21.066

Empregos

2,6% da indústria de SC

422

422

Estabelecimentos

0,8% da indústria de SC

Fonte: RAIS, 2019 (Última informação disponível)



Acesse os painéis interativos com dados completos sobre empregos e empresas:

Estabelecimentos e empregos segundo o porte

 

Dos 422 estabelecimentos90,5% são micro ou pequenas indústrias (até 99 empregados), que juntos empregam 28,0% de todos os trabalhadores do setor.

Empregos

 

Estabelecimentos

Quanto ao perfil dos trabalhadores, destaca-se que a remuneração média do setor é de R$ 3.026, valor superior à média da indústria (R$ 2.435). O gênero predominante é o masculino (81,0%),70,6% dos trabalhadores possuem escolaridade básica completa, percentual acima do observado para a indústria catarinense (61,4%).

81,0%

81,0%

é Masculino

Indústria de SC: 67,0%

 

19,0%

19,0%

é Feminino

Indústria de SC: 33,0%

 

R$ 3.026

R$ 3.026

de Remuneração Média

Indústria de SC: R$ 2.435

70,6%

70,6%

tem Escolaridade Básica Completa

Indústria de SC: 61,4%

 

29,4%

29,4%

tem Escolaridade Básica Incompleta

Indústria de SC: 38,6%

 

Fonte: RAIS, 2019

(dados atualizados conforme última divulgação oficial de orgãos do governo)

Evolução do número de estabelecimentos e empregos

O setor mostrou variação de 2,7% no número de empregos entre 2014 e 2019. Em termos de estabelecimentos, houve ampliação de 2,9% no mesmo período.

 

Empregos

 

Estabelecimentos


 

Composição dos empregos

Dentro do setor, a atividade de Fabricação de papel, cartolina e papel-cartão é a predominante, com 42,1% dos trabalhadores. Na sequência aparecem as atividades de Fabricação de embalagens de papel, cartolina, papel-cartão e papelão ondulado (com 38,2%) e Fabricação de produtos diversos de papel, cartolina, papel-cartão e papelão ondulado (com 19,5%).

Participação dos Empregos (%)

Distribuição dos empregos por município

 

Os municípios de maior destaque no setor de Celulose e papel são Três Barras (8,6%)Caçador (7,5%)Otacílio Costa (6,3%), que juntos empregam 22,5% dos trabalhadores desse setor em Santa Catarina

 
 1° Três Barras 
 1.822 (8,6%) 
 
 2° Caçador 
 1.588 (7,5%) 
 
 3° Otacílio Costa 
 1.330 (6,3%) 

Fonte: RAIS, 2019 (Último dado disponível)

Produção

R$ 7,6 bilhões

R$ 7,6 bilhões

em Valor Bruto da Produção Industrial

4,7% da indústria de SC

R$ 3,2 bilhões

R$ 3,2 bilhões

em Valor da Transformação Industrial

4,9% da indústria de SC

Fonte: PIA-IBGE (2018)

Produção Industrial & Transformação Industrial

 

Em 2018, o Valor Bruto da Produção Industrial (VBPI) do setor Celulose e Papel foi de R$ 7,68 bilhões. Já o Valor da Transformação Industrial (VTI) do setor Celulose e papel foi de R$ 3,2 bilhões.
 

Grau de Industrialização (calculado a partir da participação do Valor da Transformação sobre o Valor Bruto da produção) do setor Celulose e papel é de 42,9%, superior à média da indústria de Santa Catarina (de 41,2%) .

Evolução da produtividade

 

A produtividade do trabalhador pode ser mensurada de diversas formas, uma delas é a partir da razão entre o Valor da Transformação Industrial e o Número de Pessoas Ocupadas.

Em 2018, a produtividade do setor de Celulose e papel alcançou o valor de R$ 162,9 mil por trabalhador.

Produtividade (em R$ mil)

 

Evolução da produção física industrial

Na atividade de Fabricação de Celulose, Papel e Produtos de Papel, o ano de 2020 fechou com variação de 1,4% em sua Produção Industrial. Esse valor é superior ao observado no Brasil, que foi de 1,3%

Comércio Exterior

US$ 255 milhões

US$ 255 milhões

em Exportações

3,5% da indústria de SC

US$ 98 milhões

US$ 98 milhões

em Importações

0,6% da indústria de SC

Fonte: MDIC (2020)



Acesse os painéis de Comércio Exterior através dos links

Evolução da balança comercial

Entre 2016 e 2020, as exportações do setor cresceram 4,0%, enquanto as importações tiveram alta de 41,8%. O crescimento das exportações do setor está abaixo do desempenho catarinense, que apresentou aumento de 9,3% no montante exportado nesse período. A alta das importações do setor está abaixo do registrado pelo estado, que registrou aumento de 56,6% nas compras externas nesse comparativo.

Principais produtos exportados

Do total de US$ 255 milhões exportados pelo setor Celulose e papel em 2020, destacam-se as vendas dos produtos Papel Kraft não revestidos e Recipientes de papel, com participação de 64,4% e 23,1%, respectivamente.

Destinos

 

Entre as exportações do setor Celulose e papel em 2020, as relações comerciais de maior destaque são com a Argentina, com 35,6% do total de vendas do setor, Estados Unidos (7,8%)China (7,2%).

Principais produtos importados

Do total de US$ 98 milhões importados pelo setor Celulose e papel em 2020, destacam-se as compras dos produtos Pasta química de madeira, Papel revestido de caulim e Fibras de celulose de papel, com participação de 21,5%, 18,3% e 17,7%, respectivamente.

Origens

 

Entre importações do setor Celulose e papel em 2020, as relações comerciais de maior destaque são com China, com 28,9% do total de compras estrangeiras do setor, seguido por Estados Unidos (21,9%)Argentina (8,2%) também merecem destaque.

Saúde 

460

460

Acidentes de Trabalho

23,70 acidentes a cada 1.000 trabalhadores em 2019

2

2

Mortes

decorrentes de acidentes de trabalho em 2019

Fonte: Anuário Estatístico de Acidentes de Trabalho. AEAT, 2019. (Último dado disponível) Média de vínculos (RAIS, 2019)

Acidentes de trabalho

O setor mostrou um aumento na taxa de acidentes de trabalho (acidentes a cada 1.000 trabalhadores) de 2,1% entre 2018 e 2019. Em 2019, esses registros representaram 2,2% do total do estado. Os dados aqui apresentados correspondem aos acidentes de trabalho com e sem comunicação (CAT).

 

 

Tipos de acidentes de trabalho

 

 

Evolução e mortes decorrentes dos acidentes de trabalho

Partes do corpo mais atingidas

 
 Pés,
 8,12% 
 
 Mãos 
 43,3% 
 
 Braços, 
 7,6% 

Nota: Partes do corpo mais atingidas em acidentes com Comunicação de Acidentes de Trabalho (não considerados os acidentes sem CAT).

Fonte: Comunicação de Acidentes do Trabalho do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), CATWEB, 2019.

Afastamentos do ambiente de trabalho por motivo de saúde

 

Em 2019, a maioria (99,1%) dos afastamentos por motivo de saúde do Setor decorreram de doenças não relacionadas ao trabalho. A estimativa de custo das empresas com os 15 primeiros dias de afastamento por motivos de saúde, em 2019, foi de R$3.358.702,83. Lembrando que neste valor não estão incluídos os encargos salariais.

 

Evolução dos afastamentos do ambiente de trabalho

Nota: Os dados de afastamentos do ambiente de trabalho apresentados neste documento são referentes aqueles superiores ou inferiores a 15 dias, independentemente de ter gerado benefício no INSS.  

Consequências dos afastamentos

 

Custo para empresas com afastamento

 

Gastos com os primeiros 15 dias de afastamento do trabalhador por motivos de saúde (média salarial)

R$ 3.538.702,83

R$ 3.538.702,83

em Gastos totais com saúde

4,07% da massa salarial

R$ 25.398,37

R$ 25.398,37

em Gastos com afastamentos ocupacionais

0,03% da massa salarial

R$ 3.513.304,46

R$ 3.513.304,46

em Gastos com afastamento por doenças não relacionada ao trabalho

4,04% da massa salarial

Fonte: Relação Anual de Informações Sociais. RAIS, 2019. (Último dado disponível)



Acesse os painéis de Saúde através dos links:

Tendências Tecnológicas e de Mercado 

 

ALIMENTOS SAUDÁVEIS

SUSTENTABILIDADE

RASTREABILIDADE



Acesse os painéis de Tendências Tecnológicas e de Mercado através do link:

Produção Enxuta

 

A impressão 3D ou manufatura aditiva sinaliza o início de uma nova revolução industrial, sucedendo a montagem da linha de produção que dominou a manufatura a partir do final do século XIX, refere-se aos processos usados para sintetizar um objeto tridimensional em que camadas sucessivas de material são formadas sob o controle de um computador para criar um objeto. Os órgãos globais de padrões técnicos usam o termo oficial manufatura aditiva para esse sentido mais amplo.

Sustentabilidade

 

A economia ecológica estuda os campos de conhecimento da pesquisa acadêmica que visam abordar as economias humanas e os ecossistemas naturais. Mover-se para a sustentabilidade também é um desafio social que implica leis internacionais e nacionais, planejamento urbano e transporte, estilos de vida locais e individuais e consumismo ético. “O termo ‘sustentabilidade’ deve ser visto como o objetivo alvo da humanidade de equilíbrio humano-ecossistêmico (homeostase), enquanto ‘desenvolvimento sustentável’ refere-se à abordagem holística e aos processos temporais que nos levam ao ponto final da sustentabilidade.”

Embalagem

 

Ativa As informações dos produtos podem ser comunicadas aos usuários ou podem acionar funções de embalagens ativas. Mais frequentemente, os termos são usados com novos sistemas tecnologicamente avançados: microeletrônica, aplicativos de computador, nanotecnologia, etc, que permitem informações em tempo real para o consumidor.

Fontes

  • Empregos e Estabelecimentos: Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).
  • Valor Bruto da Produção Industrial, Valor da Transformação Industrial e Produtividade: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
  • Exportações e Importações: Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).
  • Relação Anual de Informações Sociais (RAIS).
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
  • Pesquisa Indicadores Industriais – Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC).
  • Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).