Pular para o conteúdo principal
Publicado em 18, Feb 2021 por thais.braga
cenario e perspectivas
Publicações

Como o Observatório FIESC ajuda a entender a conjuntura econômica e prever o que está por vir?

 

Os efeitos econômicos da pandemia na economia brasileira e catarinense atingiram todos os setores, mas de forma distinta. O faturamento real (acumulado nos últimos 12 meses) da agropecuária, comércio e indústria catarinense, por exemplo, começou a apresentar queda já no mês de março (gráfico abaixo). As políticas econômicas de combate à pandemia foram decisivas à trajetória de recuperação verificada a partir de julho. 

ibc

Nos gráficos ao lado vê-se que essa recuperação não alcançou os serviços, consequência das restrições impostas em segmentos como de bares, hotéis e restaurantes.

faturamento

O começo de 2021 para o Brasil, e para o mundo todo, é caracterizado por um “contra-ataque” da Covid-19, com o advento da segunda onda de contaminações. Há uma tendência persistente de aumento das mortes diárias por Covid-19 em diversos países, caracterizando maior dificuldade de limitar os efeitos negativos, em comparação com a primeira onda. Isto posto, há uma queda da atividade econômica de diversos países já no início de 2021, aumentando as incertezas para os primeiros meses do ano para a economia global.

covid

 

Disso derivam-se expectativas de redução na atividade econômica para o primeiro semestre, como a projeção do IBRE (gráfico abaixo).

pib

Não obstante, a intensidade da recuperação de 2020 deve continuar a reverberar positivamente à indústria, ainda que de forma mais restrita setorialmente. Como chegou-se a elevado nível de utilização da capacidade instalada, espera-se que industriais passem a investir em modernização e expansão produtiva, o que deverá ter efeitos positivos nos setores de bens de capital e outros fornecedores especializados da indústria. O crescimento pronunciado dos setores de máquinas e equipamentos; software e geradores; e transformadores em Santa Catarina no último trimestre de 2020 corroboram essa expectativa. 

desempenho

Em suma, as perspectivas para 2021 são de que, no curto prazo, a indústria deve continuar a ser beneficiada por um fluxo de consumo que ainda está limitado para o setor de serviços, especialmente no caso de uma nova rodada de auxílio emergencial. Além disso, se houver uma boa eficácia das vacinas (com ampla aplicação na população), então haverá melhor distribuição da renda e, consequentemente, crescimento mais vigoroso.