Pular para o conteúdo principal
Publicado em 14, Feb 2022 por observatorio
lean Fonte: Shutterstock
Publicações

O pensamento Lean é pautado no Sistema Toyota de Produção (STP), está voltado para aumento de lucro de forma crescente, seja por meio da qualidade assegurada, o que é base para o aumento de receitas, seja por meio da produção Just-In-Time (JIT) e flexibilização da mão de obra para a redução de custos (redução de desperdícios). Conforme Carlos Fernando Martins, doutor em Engenharia Mecânica pela UFSC e consultor do SENAI/SC especializado na área de Lean, essa metodologia sugere um conjunto de ferramentas que têm na base atividades de melhoria promovidas por pequenos grupos de trabalho (kaizen).
 
Martins avalia que a inserção sustentável do Lean no planejamento estratégico da empresa afeta todos as práticas de negócio e de processos dentro da organização. Assim, a companhia não deve focar apenas nas práticas Lean de chão de fábrica, mas entender o método e usá-lo como filosofia de gestão na melhoria de todas as relações entre as partes interessadas (clientes, fornecedores, sócios, colaboradores e sociedade).
 
Em linhas gerais, conforme o especialista, uma cultura Lean de longo prazo requer um entendimento completo e profundo dos princípios do pensamento e a definição formal de uma visão de onde se quer chegar, o que demanda uma mudança significativa no modelo de negócio da empresa. É fundamental que a liderança entenda e se envolva com a visão Lean, criando valores de diferentes formas para as partes interessadas.

Cinco passos fundamentais para a metodologia Lean
As práticas do Sistema Toyota de Produção têm uma espinha dorsal, o Hoshin Kanri, o real segredo da Toyota que permite integrar as atividades de um fluxo de valor dentro de uma fábrica, escritório ou hospital.

Hoshin Kanri é “um processo de gestão que alinha – vertical e horizontalmente – as funções e as atividades de uma organização com seus objetivos estratégicos. Um plano específico – geralmente anual – é desenvolvido com objetivos, ações, prazos, responsabilidades e medidas precisas”.

De acordo com Carlos Fernando Martins, a organização precisa integrar fornecedores; lançar novos produtos ou serviços; gerenciar programas estratégicos; gerenciar a jornada Lean pela empresa; gerenciar projetos complexos, entre outros focos. Toda essa gestão está centrada na aplicação dos ciclos PDCAs (Plan-Do-Check-Act) de forma sistemática e, portanto, todo o pensamento do STP, integrando os planos e execuções por todos os níveis da organização, seguem esses passos para fazer acontecer:

1. Foco: Definir o norte verdadeiro. São os objetivos e metas da empresa para o próximo período de planejamento;
2. Indicadores: Definir os elementos de negócio como rentabilidade, entrega, satisfação de clientes, inovação, entre outros. Como base nestes elementos, definir os indicadores atuais e os necessários e apresentar o desempenho da empresa;
3. Alinhamento: Planejar por meio do desenvolvimento das estratégias, com liderança para cada uma delas;
4.Integração: Desdobrar o plano estratégico.;
5.Revisão: Checar e ajustar quando necessário.

Referências Bibliográficas
Aplicação do Hoshin Kanri: foco, alinhamento e sinergia nos desdobramentos das Diretrizes de uma Unidade Operacional do SESI SANTA CATARINA)
Kata de melhoria: desenvolvendo habilidades para resolver problemas e aprender de forma sistemática no SESI Santa Catarina: uma aplicação Lean na área de Segurança e Saúde do Trabalho
UM MÉTODO DE DESDOBRAMENTO DE ESTRATÉGIAS POR MEIO DO HOSHIN KANRI: FOCO, ALINHAMENTO E SINERGIA NA IMPLANTAÇÃO DAS ESTRATÉGIAS LEAN DE UMA EMPRESA DE IATES

 

Tags Publicações