Pular para o conteúdo principal
Publicado em 16, Oct 2020 por thais.braga
Senai - Mais Respiradores
Contra Coronavírus

Para apoiar os hospitais públicos, o SENAI, junto com parceiros industriais, deu início a um projeto para aumentar a disponibilidade de respiradores mecânicos na rede hospitalar. O equipamento é necessário para os casos mais graves da doença, que afeta o sistema respiratório, causando falta de ar.

Para cumprir com o objetivo 3 principais frentes de trabalho foram estabelecidas pelo SENAI, que são:
- manutenção de respiradores dos hospitais do país que necessitem reparos ou calibração;
- aumento da capacidade produtiva de fabricantes de ventiladores já instalados no país;
- adaptação de ventilador pulmonar de uso veterinário para uso humano.

O Projeto para Aumento da Capacidade Produtiva e Ventiladores Pulmonares Invasivos – PROVEN tem por objetivo fortalezar e otimizar a cadeia de fornecedores de insumos e componentes para a indústria construtora de ventiladores pulmonares mecânicos como forma de possibilitar o aumento da capacidade produtiva.

No início da pandemia do COVID-19, foi feito um levantamento de nacionais de ventiladores mecânicos para tratamento da deficiência respiratória causada pela broncopneumonia registrados na ANVISA e mapeou-se 10 fabricantes em todo o país. Os demais ventiladores chegam ao Brasil por meio de importadores, podendo o custo chegar a R$ 100.000,00.

Naquele momento a produção do país foi estimada em 1000 unidades por mês, sendo que a estimativa do Ministério da Saúde para combate à pandemia era da necessidade de 66 mil ventiladores com disponibilidade de operação entres os meses de março a julho, revelando a incapacidade da indústria em atender essa demanda. 

Por ser uma pandemia que se alastrou por todos continentes e países, a importação de ventiladores pulmonares de outros países como EUA, China e Alemanha viu-se afetada, pois todos os países passaram a proteger sua fabricação nacional para atender as demandas internas. Países como os EUA proibiram a comercialização de ventiladores pulmonares e outros itens necessários para sua produção com outros países do mundo.

Outro gargalo revelado numa análise inicial deste mercado, é que os fornecedores destes fabricantes também encontravam dificuldades em suprir componentes e sistemas sincronizados com o aumento de capacidade na montagem dos ventiladores.

Para o desenvolvimento do projeto, foi feita uma parceria com a fabricante Novitech, localizada em São Bernardo do Campo-SP, para aumentar a capacidade produtiva de seu ventilador pulmonar Vento-S. A equipe de projeto envolveu o ISI Manufatura Avançada, (Joinville), ISI Embarcados (Florianópolis) e o Observatório FIESC (Florianópolis), além de parceiros como a Whirlpool, Intelbras, FCA, Tupy, WEG, Scania e Certi.

Para cumprir com o objetivo de aumento da produção de ventiladores pulmonares, foi primeiramente feito um levantamento de todos os componentes necessários para a manufatura, sendo separados por nível de criticidade de fornecimento em grande quantidade e baixo lead time. Para os componentes críticos iniciou-se o mapeamento de fornecedores que pudessem atender à demanda, com grande apoio das equipes de compras das empresas Whirlpool, Intelbras, FCA e Tupy que acionaram seus times internacionais para viabilizar a compra dos componentes necessários. Uma outra frente de trabalho buscou qualificar novos fornecedores no país com o apoio técnico dos ISI e da Certi.

Depois do gargalo do fornecimento de peças e componentes, o outro ponto que foi atendido pela equipe é relativo à linha de produção da Novitech que também precisava ser ampliada. Desta forma o SENAI realizou a compra de equipamentos para instalação de novas bancadas de teste, e realizou um estudo baseado na manufatura lean para otimização do espaço produtivo e da mão-de-obra. Equipes do SENAI e da Whirlpool se instalaram na Novitech para realizar não só a adequação da planta fabril, mas também para ajudarem na produção dos equipamentos. Por fim o projeto colaborou também na interlocução e negociação da Novitech com diversos atores, hospitais, governos, secretarias de saúde, para a venda dos equipamentos produzidos.

O trabalho de toda a equipe envolvida no projeto e da Novitech que se abriu suas portas para essa grande iniciativa teve como resultado um aumento expressivo ganho de produtividade na ordem de 2500% para a produção dos ventiladores pulmonares Vento S em cerca de 2 meses de trabalho.
 

 

Tags Contra Coronavírus